O deserto é o nosso lugar.




É comum ouvirmos de pregadores frases como: "o deserto não é o seu lugar', " o diabo que está fazendo você sofrer", " Deus te quer feliz e próspero", e muitas outras coisas do mesmo tipo. Mensagens que enchem o ego daqueles que não foram regenerados pelo poder do Espírito Santo, que buscam satisfazer seus desejos, assim como os quem pregam isso. Isolam versículos, e levam a mensagem distorcida as pessoas, e a maioria compram suas idéias. Mas porque esse tipo de pregação está errada?, porque o deserto é o nosso lugar e não o contrário?

1. Todos nós, que desejamos servir a Cristo, enfrentaremos aflições.

De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos. (2 Timóteo, 3:12)
A aflição, a dor, a tristeza, é inevitável na vida do Cristão. Quando nos convertemos, assinamos um contrato de sofrimento ilimitado no mundo presente, e isso é maravilhoso. Olhemos para Cristo, nosso mestre, sofreu a mais terrível dor, toda a ira de Deus sobre si e, se ele, sendo Deus sofreu, nós seus servos, DEVEMOS sofrer também, o discípulo não é melhor que o seu Senhor.

2. O sofrimento é necessário.

Para impedir que eu me exaltasse por causa da grandeza dessas revelações, foi-me dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás, para me atormentar. Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim. Mas ele me disse: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim.
Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.  (2 Coríntios, 12: 7 ao10)
É necessário passarmos por tribulações porque é nesse momento que somos aperfeiçoados. Deus usa o sofrimento para nos moldar, para que sejamos semelhantes ao seu Filho. Que diante disso venhamos nos regozijar nas lutas, a graça de Deus nos basta.

3. O Fim supremo do sofrimento e o seu fim.

Como dito no ponto acima, e é extremamente importante deixar bem claro: O fim supremo do sofrimento é nos tornar a cada dia parecidos com Cristo, tudo aponta para Ele, inclusive a dor. Um dia estaremos com ele na Glória, e o sofrimento não mais existirá, ele enxugará de nossos olhos todas as lágrimas. Como isso é maravilhoso. Cada dificuldade enfrentada nesta vida valerá a pena no final, quando enfim o encontrar-mos. Cristo não nos prometeu uma vida sem dor, mas plena satisfação nele e alegria abundante, mesmo em meio a guerra.

“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”. (João, 16:33)

Então alguns judeus chegaram de Antioquia e de Icônio e mudaram o ânimo das multidões. Apedrejaram Paulo e o arrastaram para fora da cidade, pensando que estivesse morto. Mas quando os discípulos se ajuntaram em volta de Paulo, ele se levantou e voltou à cidade. No dia seguinte, ele e Barnabé partiram para Derbe. Eles pregaram as boas novas naquela cidade e fizeram muitos discípulos. Então voltaram para Listra, Icônio e Antioquia, fortalecendo os discípulos e encorajando-os a permanecer na fé, dizendo: “É necessário que passemos por muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus”. (Atos, 14:19 ao 22)

Considero que os nossos sofrimentos atuais não podem ser comparados com a glória que em nós será revelada. (Romanos, 8:18)

Diante de tudo isso, não resta dúvidas, o deserto é o nosso lugar.

COMPARTILHAR
Anterior
Proxima