Uma reflexão sobre o filme Marley e Eu.







Se você nunca assistiu o filme, recomendo assistir. É a história de um casal, que antes da grande
escolha de ter filhos, decidi ter um cão, e a partir daí começam a viver altos e baixos. Frustrações, perdas, vitórias, tudo isso faz parte de suas vidas e de qualquer outra pessoa. Mas o foco principal de todo o filme é a lealdade e o amor de um cão e o seu dono. Como estudante de veterinária, possuo um grande amor por animais, uma das coisas que me levaram a escolher este curso, mas o que mais chama a minha atenção no mundo animal é o amor dos Cachorros.

Para um cão, você não precisa de carrões, de grandes casas ou roupas de marca. Símbolos de status não significavam nada para ele. Um pedaço de madeira já está ótimo. Um cachorro não se importa se você é rico ou pobre, inteligente ou idiota, esperto ou burro. Um cão não julga os outros por sua cor, credo ou classe, mas por quem são por dentro. Dê seu coração a ele, e ele lhe dará o dele. É realmente muito simples, mas, mesmo assim, nós humanos, tão mais sábios e sofisticados, sempre tivemos problemas para descobrir o que realmente importa ou não. De quantas pessoas você pode falar isso? Quantas pessoas fazem você se sentir raro, puro e especial? Quantas pessoas fazem você se sentir extraordinário?

Marley e Eu




Os cães não se importam com nossa condição financeira, se somos feios ou bonitos, se somos inteligentes ou burros, eles simplesmente nos amam. De uma paulada em seu cachorro nesse instante, e ele mesmo assim voltará para você. Faz parte da natureza dele.
E meditando nisso, percebi uma grande semelhança ao nosso Deus.
Lógico que o amor de Deus excede infinitamente o amor de um cão, mas ele nos amou antes mesmo de nascermos. Deus olhou para nós, seres humanos, e decidiu nos amar com amor incondicional. Ele não se importou se éramos inteligente ou burros, ricos ou pobres, ele simplesmente nos amou. Todos os dias somos infiéis, mas ele continua sendo fiel a nós. Vê como é grande o amor de Deus por nós? Passamos uma vida pecando, ferindo aquele que é Santo, mas mesmo assim ele continua nos amando e amando e amando, porque Deus é amor, faz parte da natureza dele. Ele não se importa com nossos status, se somos fortes ou fracos, conhecidos ou desconhecidos, ele simplesmente diz: Vinde a mim todos os que estais cansados de carregar suas pesadas cargas, e Eu vos darei descanso. (Mt 11:28)
Como Deus nos ama, e erramos todas as vezes que pensamos o contrário. Aquele que nos deu seu único filho, aquele que já sabia da nossa existência e tudo que faríamos antes da criação do mundo, aquele que criou o universo com tudo que nele há, que pode fazer todas as coisas possíveis e impossíveis, decidiu mesmo com toda sua Glória, amar pessoas imperfeitas como nós. Como Deus nos ama, como Deus nos ama...


Kelvin Teixeira



COMPARTILHAR
Anterior
Proxima